Passar para o conteúdo principal

As Vinhas

Os Tintos

Os tintos de Valle de Passos têm origem no núcleo de Rio Torto, localizado numa propriedade com mais de 50 ha de área junto à margem direita do Rio Rabaçal (afluente do Tua), é constituída por 30 ha de vinha implantada num local com uma ondulação suave típica dos terrenos de xisto, marcada pela cota 250 (acima do nível do mar, varia entre os 230 e 280 metros). Esta localização privilegiada associa-se à influência marcante de um clima mediterrânico, com moderada influência continental, identidade da Terra Quente Transmontana caracterizada pelos Invernos rigorosos e Verões quentes e secos, o que permite, associado à cultura de vinhas com mais de 25 anos das castas identitárias desta região, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Amarela, Bastardo e Tinta Roriz, a produção de vinhos tintos únicos com forte personalidade e elevada qualidade identitária e característica do terroir, associado a esta cota na região de Valpaços.

As Castas

Para a execução dos diferentes lotes de tinto e rosé os enólogos contam com as uvas oriundas da Vinha de Rio Torto, de que se destacam
 

Touriga Franca

A Touriga Franca, os vinhos oriundos desta casta apresentam uma intensidade de cor elevada (rubi fechado de tonalidade violácea), aroma de alguma complexidade e de alguma austeridade, a frutos vermelhos (framboesa, cereja), frutos silvestres (amora), floral (violeta) e leve herbáceo. Possui uma estrutura/potencial de envelhecimento elevado.
 

Touriga Nacional

A Touriga Nacional, com vinhos a apresentarem uma intensidade de cor elevada, aroma complexo, exuberante e intenso a frutos vermelhos (framboesa, cereja), frutos pretos (ameixa), frutos silvestres (amora), e um muito característico aroma floral (rosa, violeta e bergamota). É um vinho que se dá muito bem com o estágio em madeira, integrando com grande elegância esta na sua estrutura aromática, e é dotada de uma enorme capacidade de envelhecimento nobre na garrafa.
 

Tinta Roriz

A Tinta Roriz, muito importante para o lote, devido à sua estrutura tânica que contribui para a robustez e longevidade do vinho, os vinhos que origina apresentam uma intensidade de cor média, aroma de frutos vermelhos e silvestres e algo herbáceo, que ajudam também a reforçar a frescura do lote.
 

Tinta Amarela

A Tinta Amarela, os vinhos apresentam uma intensidade de cor alta, com aromas de frutos vermelhos/silvestres (cereja, amora) e floral (violeta).
 

Bastardo

O Bastardo, os vinhos que origina apresentam uma intensidade de cor discreta. O aroma desta casta é muito característico, lembrando frutos e bagas silvestres quando jovem, evoluindo para composições aromáticas mais complexas, com notas de fumo, café, erva seca, ameixas secas e tabaco. Tem pouco corpo e é suave e elegante, pelo que tem que ser trabalhado enologicamente tendo em conta estas particularidades.

Os Vinhos

O Colheita

O Colheita aproveita as características próprias das castas plantadas no nosso específico terroir, que incute frescura, equilíbrio e elegância aos vinhos, para constituir um lote que vai para a garrafa relativamente cedo, sem ter estágio em barricas de carvalho, optando por privilegiar os aromas primários das uvas, a fruta e definição varietal das castas que o constituem.


Harmonizações - Recomendado para acompanhar pratos da cozinha tradicional de Trás-os-Montes, como alheiras e enchidos, bem como outras delícias da gastronomia nacional.

O Reserva

Para o Reserva os enólogos privilegiam as castas que dão origem a vinhos mais robustos e com capacidade para aguentarem o estágio prolongado em barricas de carvalho, mantendo no entanto a frescura e elegância que são característicos dos vinhos da região, usando para tal também as virtudes especiais de castas como o Bastardo e a Tinta Amarela, mais suaves e elegantes, em contraponto com a Touriga Nacional, exuberante e rica e de grande complexidade, ou com a Touriga Franca, mineral, austera e firme, ou a Tinta Roriz, com a sua estrutura tânica essencial para suportar o “edifício” que é um vinho.
O vinho Reserva estagia durante cerca de 12 meses em barricas de carvalho francês e algum americano.


Harmonizações - Recomendado para acompanhar pratos de carne vermelha, a tradicional “posta” transmontana ou caça, queijos macios de casca rija, entre outros.

Saiba mais

As Vinhas e os Vinhos

Os Brancos

As castas brancas que os enólogos têm para trabalhar deram origem para já a dois tipos de vinho, o Colheita e o Reserva.

Os Tintos

Da mesma maneira nos tintos os enólogos optaram por elaborar, para já, dois tipos de vinho, o Colheita e o Reserva, estando no “forno” um Grande Reserva.

O Rosé

O Rosé não podia deixar de estar presente no nosso portfolio, já que as castas tintas de que dispomos se adaptam maravilhosamente a este tipo de vinho.