Passar para o conteúdo principal

As Vinhas

Os Brancos

Os brancos de Valle de Passos tem origem na vinha do Carril, localizada numa propriedade de 20 ha entre Valpaços e Carrazedo, e é constituída por 17 ha de vinha implantada numa suave colina com exposição Sul/Poente, marcada pela cota 500 (acima do nível do mar, varia entre os 480 e 520 metros). Esta localização privilegiada a média altitude, ameniza a influência do clima mediterrânico, permitindo Verões menos inclementes, maiores amplitudes térmicas e um menor stress hídrico, favorável para que as castas brancas da região como o Viosinho, Códega do Larinho, Rabigato e Verdelho possam exprimir a frescura e mineralidade identitária e característica do terroir associado a esta cota na região de Valpaços.
Neste terroir de excelência a Quinta Valle de Passos possui um dos seus maiores tesouros, uma vinha de 1ha com mais de 50 anos constituídas por um lote das castas brancas, que vieram a dar origem na década de 90, há mais de 20 anos, às restantes vinhas extremes das castas anteriormente referidas.

As Castas

Para a execução dos vinhos brancos os enólogos contam assim com as uvas oriundas da Vinha do Carril, de que se destacam como as mais importantes
 

Viosinho

O Viosinho, que contribui para o lote com a intensidade aromática, com notas florais e tropicais, com boa capacidade de envelhecimento, e com aromas que se encontram tipicamente na casta Sauvignon Blanc.
 

Códega do Larinho

A Códega do Larinho, vinho de cor citrina com aroma bastante exuberante, frutado intenso (frutos tropicais) e floral, complexo, e de grande persistência, na boca mostra algum défice em frescura (pouco ácido), compensado com um excelente perfil aromático e grande persistência.
 

Rabigato

O Rabigato, os vinhos dela oriundos possuem uma cor citrina medianamente intensa, aroma de intensidade mediana, e um gosto equilibrado, acidez natural elevada, fresco e com bastante persistência na boca, contribuindo muito por isso para exaltar a frescura dos vinhos brancos onde está presente.
 

Verdelho

O Verdelho origina vinhos de cor citrina com tonalidade leve esverdeado, aroma algo complexo com fruta intensa e algum floral. Na boca mostra frescura, com excelente equilíbrio álcool/acidez, algo encorpado e final de boca persistente. Contribui para a delicadeza do lote na boca.

Os Vinhos

O Colheita

O Colheita caracteriza-se por utilizar no lote vinhos com mais exuberância aromática, grau alcoólico mais contido e não utilização de estágio em madeira de carvalho, pelo que é engarrafado cedo. O perfil perseguido na elaboração do lote é privilegiar a elegância e frescura, não esquecendo a componente aromática que se quer apelativa.


Harmonizações - Recomendado para acompanhar pratos de bacalhau ou peixes de confeção elaborada. Dada a sua estrutura e volume pode acompanhar algumas carnes guisadas, ou pratos de favas com enchidos de Trás-os-Montes.

O Reserva

Para o Reserva os enólogos selecionam os vinhos mais austeros nos aromas, maior volume alcoólico e corpo, utilizando no seu estágio durante alguns meses a permanência de parte do lote em barricas de carvalho francês, só o suficiente para contribuir para o apoio à estrutura e à componente aromática do vinho, pelo que é engarrafado mais tarde.
O perfil desejado é por isso mais fundamentado na boca do que no nariz, que se quer austero e com grande integração das notas de barrica, com uma boca mais rica e complexa, de ataque e evolução e final harmoniosos, mas firmes, tendo sempre presente a frescura e a vocação gastronómica que estes tipos de vinhos deverão apresentar.


Harmonizações - Recomendado para acompanhar pratos de bacalhau ou peixes de confeção elaborada. Dada a sua estrutura e volume pode acompanhar algumas carnes brancas, ou mesmo o tradicional cabrito assado.

Saiba mais

As Vinhas e os Vinhos

Os Brancos

As castas brancas que os enólogos têm para trabalhar deram origem para já a dois tipos de vinho, o Colheita e o Reserva.

Os Tintos

Da mesma maneira nos tintos os enólogos optaram por elaborar, para já, dois tipos de vinho, o Colheita e o Reserva, estando no “forno” um Grande Reserva.

O Rosé

O Rosé não podia deixar de estar presente no nosso portfolio, já que as castas tintas de que dispomos se adaptam maravilhosamente a este tipo de vinho.